A Poesia Glacial de Mamuti

Ele é integrante do coletivo que reúne elementos das Zonas Oeste, Leste e Norte de São Paulo, o NusCorre. Em 2009, junto ao grupo, lançou fisicamente a Demo “NusCorre – Com as próprias pernas”, e foi vice-campeão da Liga dos MCs de 2010. 2011 mal começou, e justamente no aniversário de SP, lança o videoclipe de seu single, intitulado Paulistano. Estou falando de Mamuti, O Poeta Glacial. Confira a entrevista com o MC:

Marcão: Então mano, primeiramente gostaria de saber como surgiu o apelido de Mamuti?
Mamuti: Logo que eu comecei a acessar a internet (com 12, 13 anos), precisava de um “nickname”, então minha mãe sugeriu Mamute, por eu ser alto e gordo (lógico que ela não falou com essas palavras). [risos]. Usava o apelido na internet e só, até que um dia – como que por acaso do destino-, jogando futebol na escola um colega de classe disse que eu era mó cavalo jogando e outro complementou:
“Gordo desse jeito tá mais pro Mamute da era do Gelo”…  Daí pra frente eu só troquei o E pelo I por questão de diferenciar a grafia…

Marcão: E como foi seu envolvimento com o rap?
Mamuti: Eu ouço rap desde meados de 98, comecei ouvindo Gabriel o Pensador na rádio; pedi uma fita pra minha mãe e ganhei (uma fita k7 Quebra Cabeça). Cada vez mais me interessando pelos discursos das letras do rap e a batida pesada. Eu passei uns anos morando fora de SP, (e por lá comecei a escutar rap) e quando voltei pra cá tive acesso a muito mais músicas e discos do que eu tinha onde eu morava (Goiânia)… Na época onde internet era raridade.
Virei mais fã do que já era. E com a chegada da adolescência tive necessidade de me expressar e auto-afirmar de alguma forma… Foi o Rap. Daí pra frente o que era hobby virou vida e aqui estamos.

Marcão: Fale Sobre o NusCorre.
Mamuti: O NusCorre surgiu sem forçar. Éramos três amigos que colavam nos rolês juntos e então resolvemos fazer um trabalho juntos. No inicio, NusCorre era só um coletivo, uma banca… Mas com o passar dos trabalhos a gente acabou se firmando como um grupo em 2008 e lançando a Demo em 2009. Em 2010 agregamos o TVS Beatbox oficialmente a nossa família. E hoje o NusCorre é praticamente os dois. Um grupo e um coletivo. Pois além do grupo, temos todos os que correm com a gente, nos ajudam e acompanham na caminhada – como os grupos Renascendo das Cinzas, Dafina e o MC100%.

Marcão: Em 2009 vocês lançaram a Demo “NusCorre – Com as próprias pernas”… Como ocorreu a produção dessa Demo?
Mamuti: Foi algo muito informal. A gente escrevia e gravava num ritmo muito amador e demoramos um ano pra juntar o material pra Demo. E também não foi nada muito pensado/planejado… Tínhamos as músicas e precisávamos divulgar nosso trabalho. Aí certo dia, em um evento o Phantom, do Boca do Lixo me falou: “Mamuti, se tu quer que respeitem e ouçam seu trabalho você tem que entregar algo material..ninguém liga pra Myspace”… Nos agilizamos e fizemos 500 cópias. Vendemos 300 pra não sair no preju, e as outras 200 foram distribuídas entre produtores de festas e DJs

Marcão: E como foi sua iniciação nas batalhas de MCs?
Mamuti: Certo dia eu vi um vídeo da liga dos MCs de 2004… A final era Funnk x Gil… Olhei e achei aquilo surreal. Achava que era impossível. Algum tempo depois, pela internet, conheci uns caras que faziam freestyle e passamos a nos reunir. A partir daí comecei a frequentar as batalhas do Sta. Cruz. Logo após, a Rinha dos MCs e depois fui procurar batalhas fora da cidade, pois eu já tinha enfrentado quase todo mundo que participava ativamente das batalhas em SP.

Marcão: Foi nesse período que surgiu a alcunha de “O Poeta Glacial”?
Mamuti: [Risos]. Foi na Rinha dos MC’s, que se difundiu. Mas eu já usava a alcunha no nome do Orkut; E em uma das batalhas, o Terra Preta tava apresentando ao lado do Criolo; lembrou disso e anunciou no mic: “Mamuti O Poeta Glacial”. Mas “O Poeta Glacial” tinha, no começo, um sentido totalmente deprimente. Eu havia escrito uma poesia pra uma garota (paixão adolescente de menino bobo); E ela rasgou e jogou fora… Então eu decidi que eu nunca mais faria poesia pra garota nenhuma… E seria frio… UM POETA GLACIAL

Marcão: E como foi participar de uma competição a nível nacional, como a Liga dos MCs?
Mamuti: Bom… Como eu disse, a Liga dos MCs foi – pra mim – onde tudo começou (através do vídeo). Chegar na Liga, foi a realização maior da minha carreira de MC de Batalha. Um fechamento de ciclo, agora eu posso me dedicar ao meu trabalho, pois nesse ciclo eu já fiz o que eu queria fazer, batalhas agora só por diversão.

Marcão: O que mudou após a participação na Liga dos MC’s?
Mamuti: Poxa. Ganhei uma projeção maior do que eu já tinha. Algumas pessoas que ainda não me conheciam nem por batalhas, nem por sons, passaram a saber quem eu sou. E pro MC isso é muito importante. Mas como a Liga desse ano não teve um porte tão grande quanto às anteriores, Não foi uma mudança muito radical, mas veio pra bem…

Marcão: 2011 mal começou e vejo um Mamuti bem focado. Fale sobre o single “Paulistano” e o lançamento do Videoclipe.
Mamuti:
O Single Paulistano, ironicamente, nasceu fora de São Paulo, quando eu viajava para o interior, no carnaval e via meus conterrâneos desmerecendo minha cidade. Rascunhei a letra e guardei. Quando o IssV abriu o “CoisaSimplesEstúdio” e me chamou pra produzir com ele o EP, Paulistano ganhou uma repaginada e foi as ruas como o primeiro single da parceria e do EP entitulado ZeroOnze (DDD de São Paulo, número representante do nosso ano atual, e ZO também iniciais de Zona Oeste… minha quebrada). O Clipe, foi idealizado meio que de brincadeira: “Ah, vamos lançar o clipe de Paulistano no aniversário da cidade”. Aí surgiu, na ultima semana a oportunidade de pegar uma câmera boa emprestada, e fazer isso acontecer. Não nos fizemos de rogados… E viramos algumas noites trabalhando nisso, mais precisamente de quarta feira passada até hoje. O clipe foi feito meio às pressas, fugiu um pouco do roteiro original, por conta das chuvas que estragaram as gravações… Mas no fim das contas o resultado foi melhor do que o esperado inicialmente. E, mais que um clipe pra mim, é uma homenagem minha pra cidade que amo no dia do aniversário dela… #SP457Anos.

Marcão: Conte como foi a participação no programa “Esquenta”, de Regina Casé, e sobre o seu depoimento no site da revista Época.
Mamuti: Pelo que eu sei, a Regina Casé tinha em pauta naquele episódio, “Partido Alto”, e achou que seria interessante misturar com Rap e Repente. Lembrando rapidamente da Liga dos MCs, que tinha acabado de acontecer, a produção dela entrou em contato com a Brutal (Crew), que enviou os dois finalistas para lá. Foi uma participação pequena no programa, mas foi um dia que vai ficar marcado pelo aprendizado que pude tirar.
O site da Época… Estava fazendo uma matéria sobre o aniversário da cidade, e a pauta era “Tatuagens Paulistanas”… Perguntaram no Twitter sobre as tatuagens, e algumas pessoas que me seguem/conhecem me indicaram pelas minhas duas tatuagens (o calçamento paulista no braço e o mapa da capital na canela).Tive a honra de ser um dos 10 selecionados pra matéria.

[yframe url=’http://www.youtube.com/watch?v=1AzFTCWJjIA’]

Confira a Matéria na Revista Época

Marcão: Além do ZeroOnze EP, mais algum projeto para 2011?
Mamuti: Mais 1 clipe, Alguns projetos culturais que torço para serem contemplados pelos devidos editais e o trabalho Promo do grupo NusCorre. São os focos pra 2011.

Marcão: Você esteve presente no “Visões Periféricas”, aqui no Rio de Janeiro, em 2009, como foi essa experiência?
Mamuti: No mínimo, mágico. Eu era molecão, novo ainda, na faculdade de produção audiovisual, cheio de ideais, sem nenhum tempo e já perdendo as esperanças em tudo. O Festival me deu um gás pra continuar na corrida. Dialogar com pessoas de diferentes culturas de todo lugar do Brasil e até de fora, me fez abrir a cabeça para um monte de possibilidades nas quais eu trabalho hoje.

Marcão: Atualmente você vive só de música, ou tambem trabalha com produção audiovisual?
Mamuti: Nâo posso dizer que vivo só de música, pois minha renda é complementada por alguns trabalhos que faço com Rap e Hip-Hop, nos quais eu não exerço especificamente a função musical. Tenho alguns projetos com Audiovisual programados pra esse ano, mas dependo dos editais aprovarem. E quando a situação aperta, eu recorro a freelas… Mas a vida foi bondosa comigo e me trouxe pr’uma família que me apóia totalmente,  a ponto de eu não ter a necessidade de me preocupar com várias coisas por agora, como aluguel, comida, e contas… Caso contrário eu ainda estaria no escritório trabalhando 8 horas por dia.

Marcão: Irmão, satisfação total em ter te entrevistado. Gostaria que deixasse uma mensagem para os leitores do Portal, e pra quem tá se iniciando agora no Rap…
Mamuti: 2 frases do NusCorre que eu levo de mantra…pra não deixar a peteca cair. A primeira, principalmente pra quem tá começando: “Podem fechar as panelas, viemos sujar o fogão…” E a segunda: “Se o que é real nunca morre, nós tamo aí…”

CONFIRA O VIDEOCLIPE DO SINGLE PAULISTANO:
[yframe url=’http://www.youtube.com/watch?v=SvcG2cM5dZ8′] Saiba mais sobre o trabalho de Mamuti em:
http://www.nuscorre.com.br (Site Oficial do grupo em construção)
http://zeroonzeep.nuscorre.com.br (Hotsite da EP. Com diário de bordo e novidades)

Sobre Marcão Baixada

Rapper, compositor e produtor. Take Back the Mic’s Hip Hop World Champion (2015). Curador e host do projeto Hip Hop Conhecimento.

Além disso, veja

Brisa Flow leva show de lançamento do álbum “Selvagem Como o Vento” para Niterói

A cantora, rapper e multi-instrumentista Brisa Flow se apresenta pela primeira vez em Niterói. O …

16 comentários

  1. Pô Markão, bem que tu disse mano, a entrevista ficou da hora.
    Não conhecia o trampo do mano Mamuti, mas vi que ele tem o dom, os videos são da hora, representou na Regina Casé.

  2. Entrevista da hora, Mamuti é correria e muito gente boa…. já o Markão um grande entrevistador….

  3. é isso ae muito irada a materia sucesso muito boa markão é noix mesmo!

    nextwo graffiti…

    http://www.flickr.com/photos/nextwo/

    http://www.facebook.com/profile.php?id=100001401903019

  4. MARCÃO, ESTÁ NASCENDO TAMBÉM EM VOCÊ UM GRANDE JORNALISTA, VÁ EM FRENTE.

  5. porra marcão , que entrevista foda , progresso familia , é noiz !

  6. é isso guerreiro parabens, bela entrevista belos videos é isso marcão Caminho é ese um só…

    @Sempreandre

  7. Entrevista maravilhosa. Mandaram muito bem
    Sucesso pra vocês *-*

  8. Parabéns pela entrevista… qualidade!

  9. Admiro o trabalho desses 2 jovens!!
    Parabéns Marcos pela entrevista e pelo seu envolvimento com o RAP e essa vontade de fazer a diferença!
    Mamuti mandou mto no programa e principalmente na final da Liga. Esse novo trampo ta vindo com uma puta qualidade tanto sonora qnt de imagem e eu o admiro mto por fazer tantos corres, ele honra o nome do grupo que participa e agora vai honrar o talento no projeto solo! Eh noiz!

  10. Realmente, Marcão. A matéria ficou da hora mesmo. Como o DMA, eu não conhecia bem o trampo do Mamuti. O clipe ficou com umas imagens bem legais. Já a participação no programa da Casé, achei maneiríssimo. Aquele menor, o TK manda bem pra caramba.

    Enraizados em Movimento!

    @PetterMC

  11. Mais uma vez dou os parabéns a vocês, e que venham mais e mais entrevistas para todos. Sucesso absoluto nos seus trabalhos. ;D

  12. Parabéns aos dois! Foi muito bom conhecer o trabalho e a vida do Mamuti. Marcão, fico feliz em descobrir o seu talento com a comunicação, como meio de informação.

Deixe uma resposta para Letícia Albuquerque Cancelar resposta

Paste your AdWords Remarketing code here