terça-feira, 23 abril, 2024

Babilak Bah visitará o Movimento Enraizados na próxima quinta (26)

O músico, poeta e arte-educador Babilak Bah visitará o Espaço Enraizados na próxima quinta-feira, dia 26 de setembro, para conhecer um pouco o local e o trabalho desenvolvido pela instituição, além de trocar ideia com a molecada da escola de hip hop Enraizados na Arte, que voltou a ativa há uma semana. Ele virá acompanhado de uma equipe do Rumos Itaú Cultural

Babilak é um cara super articulado, produziu dois CDs: “Enxadario: orquestra de enxadas” e “Biografia de Homens Inquietos”; Publicou os livros de poemas: “Vôomiragem” e “CORPOLETRADO”.
Também é criador e diretor artístico do grupo musical Trem Tan Tan. Além disso, ministra oficinas, realiza performance, faz show musical pelo Brasil e já se apresentou na França, Inglaterra e Espanha.

SAIBA MAIS:

Quando: 26 de setembro às 12h00.
Onde: Espaço Enraizados
Rua Thomaz Fonseca, 508 – Morro Agudo – Nova Iguaçu
@babilakbah
http://www.facebook.com/babilak.bah

Sobre Dudu de Morro Agudo

Rapper, educador popular, produtor cultural, escritor, mestre e doutorando em Educação (UFF). Dudu de Morro Agudo lançou os discos "Rolo Compressor" (2010) e "O Dever Me Chama" (2018); é autor do livro "Enraizados: Os Híbridos Glocais"; Diretor dos documentários "Mães do Hip Hop" (2010) e "O Custo da Oportunidade" (2017). Atualmente atua como diretor geral do Instituto Enraizados; CEO da Hulle Brasil; coordenador do Curso Popular Enraizados.

Além disso, veja

O papel da educação clandestina na formação Política

Este texto reflete sobre o conceito de "Educação Clandestina", destacando sua abordagem contrária ao ensino formal. Explora as lacunas do sistema educacional brasileiro, particularmente em relação à alfabetização e ao letramento nas escolas periféricas. Descreve como movimentos sociais reúnem conhecimentos diversos, ausentes das instituições formais, promovendo uma troca que desafia o status quo. Aponta a importância da conscientização política e da ação crítica na transformação da realidade. Destaca a educação clandestina como um processo contínuo de formação política, capaz de despertar indivíduos para a realidade e capacitá-los a questionar, refletir e agir em prol da mudança social.

Deixe um comentário