Deus quer que eu eu malhe

Há alguns meses venho me sentindo mal com aquela barriguinha de chopp que cisma em fazer uma forma de bola em minhas blusas. 

Contudo me encontro entre a cruz e a espada, pois não consigo parar de comer as imundices deliciosas que me cercam desde os “Chinas” até aos “Subways” – que inclusive acaba de chegar com uma linda lanchonete aqui na comunidade – e não me imagino trancado dentro de uma academia, pagando R$100/mês para levantar pesos insuportáveis (pelo menos para um cara sedentário como eu).

Não nego, sou sedentário. Sei que isso faz muito mal à minha saúde. Trabalho há cerca de 800 metros da minha casa e vou de carro. Até para comprar pão, em uma padaria que fica próxima da minha casa, também vou de carro. Confesso que me sinto mal quando passo de carro pelas ruas e encontro meu amigo Átomo praticando sua corrida diária.

Mas em uma curta reflexão, percebi que tenho praticado alguns exercícios mesmo sem querer, e acho que isso é uma empreitada de Deus, respondendo às minhas preces, pois todos os dias, antes de dormir, peço a Deus em minhas orações que me dê disposição para malhar ou “arrume uma forma de eu entrar em forma”.

Aprendi que quando você pede a Deus paciência, por exemplo, ele te dá a oportunidade de praticar a paciência, colocando as criaturas mais perturbadas no seu caminho, para que você pratique.

Mas no meu caso, eu queria disposição.

Foi então que eu percebi que, no mês de novembro choveram todos os finais de semana, de quinta a domingo. Até aí tudo bem, mas acontece que eu aceitei o desafio de produzir 16 eventos em Morro Agudo, durante todos os finais de semana, de quinta a domingo, e choveu somente nesses dias.

Por causa dessa chuva eu tive que subir em escadas, estender lonas, carregar caixas e correr muito de um lado para o outro. Tudo o que fosse necessário para que o evento acontecesse. De segunda a quarta não caia uma gota do céu, mas quinta-feira a chuva caía com raiva. Porém, quando acabou o mês de novembro, e consequentemente todo o meu trabalho, findou-se a chuva também.

Daí eu pensei: E agora? Minha vida sedentária voltará ao normal?

Não!!! Deus ainda tem muitos planos pra mim.

Ontem, por volta da meia noite, estávamos eu e minha digníssima namorada em casa, conversando sobre a vida, quando aquela fome avassaladora se abateu sobre nós. Foi então que decidimos pedir uma pizza, porém como já era muito tarde, a pizzaria não entregava mais, sendo assim tivemos que ir buscá-la.

Aí você pergunta: Foram caminhando?

Claro que não, fomos de carro.

Lá chegando, ficamos cerca de 05 minutos, pegamos a pizza e quando entramos no carro para voltar pra casa. Adivinhem…

Meu pneu estava furado. Fiquei cerca de 20 minutos fazendo diversos exercícios que passaram por afrouxar  parafusos que pareciam estar soldados na roda, levantar o carro em um macaquinho que parecia ser um brinquedo de criança, centenas de agachamentos e retirar o estepe (que é algo extremamente bizarro de se fazer no meu carro).

Conclusão: – Hoje amanheci na porta da academia, com um sorriso que não cabia no meu rosto e cheio de disposição.

E uma dica pra vocês: – Cuidado com o que pedem em suas orações.

Sobre Dudu de Morro Agudo

Rapper, escritor e empreendedor social. Um perito em transformar sonhos em realidade.

Além disso, veja

FML: As histórias do hip hop da Baixada Fluminense

Eu me chamo Fagner Medeiros de Lima, e no graffiti eu assino FML, porque na …

3 comentários

  1. Nunca tinha feito uma interlocução tão intensa com Deus, mas certamente cabe nas reflexões do nosso cotidiano.

    Sobre sedentarismo, tenho tanta aversão quanto um sedentário tem a atividades físicas. E como já torci o pé, é dolorido e demora a recuperar o movimento, sinto um prazer absurdo em me locomover, não reclamo de escadas e ficaria feliz se fosse tranquilo circular a pé por todo e qualquer canto da cidade, de dia e de noite.

    E que o investimento nas atividades físicas reverberem positivamente em outras atividades! :))

Deixe um comentário