Quando um racista chora, a culpa diminui?

Essa é a pergunta que rola nas time lines do facebook.

Patrícia Moreira da Silva, 23 anos, a jovem que xingou o goleiro Aranha de macaco durante um jogo de futebol entre o Grêmio e Santos, chorou e pediu desculpas durante uma entrevista coletiva.

20140906-00 - RacistaEla disse: – Perdão de coração, eu não sou racista. Aquela palavra macaco não foi racismo, foi no calor do jogo. O Grêmio estava perdendo, o Grêmio é minha paixão. Eu largava tudo para ir ao jogo do Grêmio. Peço desculpas ao Grêmio, à nação tricolor, eu não queria prejudicar o Grêmio. Eu amo o Grêmio. Desculpas, perdão, perdão, perdão mesmo.

Na verdade parece que ela está mais arrependida de ter prejudicado o time de coração do que o goleiro ofendido. Diz um internauta revoltado.

Mas o advogado dela explica que “macaco, no contexto do jogo de futebol, não se torna racista”.

E você, qual a sua opinião?

Sobre Hulle Brasil

Hulle Brasil é uma startap que potencializa artistas e trabalha com base em três pilares: TERRITÓRIO, ETNIA & GÊNERO. Aqui no Portal Enraizados, nossa equipe gera conteúdo a partir destes pilares.

Além disso, veja

Dudu de Morro Agudo & Mohammed Yahya

O Festival Caleidoscópio traz atividades e shows online em intercâmbio cultural com o rapper britânico Mohammed Yahya

Conhecido por ocupar as praças e ruas de Nova Iguaçu com variadas experimentações artísticas, mesclando …

Deixe um comentário