quinta-feira, 18 abril, 2024

Ras Bernardo foi baleado ontem, em Nova Iguaçu

Ontem a noite, cerca das 23 horas, a Renata Cobre me enviou uma mensagem no facebook informando que nosso camarada Ras Bernardo havia sido baleado enquanto ia para sua residência. Um homem saiu de um terreno baldio e alvejou o Ras com quatro tiros na barriga. Renata me passou o telefone do Geyso – amigo que estava com o Ras no hospital da Posse – para que eu tivesse mais informações. Em seguida liguei para ele para saber mais detalhes, e ele me informou que a situação não estava fácil, o Ras estava em uma mesa de operação, correndo risco de morte.

No último dia 28 de janeiro, Ras Bernardo se apresentou no Espaço Enraizados, durante a Banca de Freestyle. Confraternizou com os amigos presentes, fez fotos, elogiou muitos que haviam se apresentado antes dele. A energia dele foi realmente incrível e com certeza cativou a todos.

Sabendo do sentimento de todos que estavam na Banca de Freestyle por Ras, enviei um SMS para o DJ Fábio ACM, Lisa Castro, Eliza Castro, Léo da XIII e Marcão Baixada, e todos – com certeza – rezaram e oraram muito por ele.

Como diz Cacau Amaral: – Ras. Valeu por se livrar dessa. Você é peça chave na guerrilha da cultura em nossa Baixada.

GALERIA DE FOTOS DO SHOW DO RAS NA BANCA

Sobre Dudu de Morro Agudo

Rapper, educador popular, produtor cultural, escritor, mestre e doutorando em Educação (UFF). Dudu de Morro Agudo lançou os discos "Rolo Compressor" (2010) e "O Dever Me Chama" (2018); é autor do livro "Enraizados: Os Híbridos Glocais"; Diretor dos documentários "Mães do Hip Hop" (2010) e "O Custo da Oportunidade" (2017). Atualmente atua como diretor geral do Instituto Enraizados; CEO da Hulle Brasil; coordenador do Curso Popular Enraizados.

Além disso, veja

O papel da educação clandestina na formação Política

Este texto reflete sobre o conceito de "Educação Clandestina", destacando sua abordagem contrária ao ensino formal. Explora as lacunas do sistema educacional brasileiro, particularmente em relação à alfabetização e ao letramento nas escolas periféricas. Descreve como movimentos sociais reúnem conhecimentos diversos, ausentes das instituições formais, promovendo uma troca que desafia o status quo. Aponta a importância da conscientização política e da ação crítica na transformação da realidade. Destaca a educação clandestina como um processo contínuo de formação política, capaz de despertar indivíduos para a realidade e capacitá-los a questionar, refletir e agir em prol da mudança social.

Deixe um comentário