imagem: divulgação

A Baixada tem seu Alzirão, ‘parcêru’!

Tenho acompanhado parte da mega cobertura jornalística que os meios tradicionais de comunicação têm feito sobre a Copa do Mundo. A nível de região metropolitana do Rio de Janeiro, temos a cobertura da Fifa Fan Fest, de gringos nos bares e praias, torcedores no entorno do Maracanã e o tradicional – e importante – Alzirão.

Tudo isso me fez pensar: pô, será que não há um movimento grande de torcida brasileira na Baixada? Não que eu ligue diretamente pro assunto, já que não sou tão fã de futebol. Mas, sabe aquela tecla em que batemos sempre por aqui? Isso mesmo! A tecla sobre a visibilidade da Baixada Fluminense nos noticiários.

Se acontece uma chacina, a imprensa da capital vem pra cá como uma revoada de urubus atrás de carniça. É um processo histórico. Sendo um pouco mais ousado, eu diria que esse processo histórico se transformou em cultura jornalística clichê. Enfim.

Ainda sobre a cobertura da Copa: qualquer suspiro que um torcedor gringo dê, vira matéria pro lado de lá. Se o torcedor estrangeiro toma café na padaria – oh que inédito! – lá está o repórter fazendo entrada ao vivo para cobrir o glorioso momento. Se o gringo toma banho de mar, lá está outro repórter “dando um furo de reportagem”. Se o gringo torce no bar, aí é que os jornalistas acham lindo e vão atrás.

Tendo isso como base de raciocínio, eu achei que ia arrasar na assessoria de imprensa ao enviar “altos” releases para dezenas de jornalistas na última semana. Nas mensagens, eu alertava aos colegas sobre a vinda de torcedores estrangeiros (França e EUA) para Nova Iguaçu, atraídos pela Banca de Freestyle Enraizados (tradicional evento de rap da Baixada Fluminense). Soube de nada, inocente!

Dos quase 100 profissionais para quem enviei a nota, apenas um me deu um feedback. Um feedback sincero, dizendo que a pauta dava caldo, mas seria inviável deslocar equipe para a Baixada.

Pra fechar o assunto e finalmente chegarmos ao ponto que interessa: ontem eu caminhava pelo centro de Queimados, quando reparei uma enorme estrutura na Praça dos Eucaliptos. Telão de LED, super caixas de som, dezenas de barracas montadas e muito verde e amarelo decorando o local.

Pesquisei no Google e descobri que houve um mega evento para torcer pelo Brasil ali naquele local, com direito a festa e tudo. Cerca de 5 mil pessoas, segundo a Prefeitura de Queimados, estiveram presentes no encontro. Se o Brasil chegar à final, a expectativa é que 20 mil pessoas compareçam ao evento no dia 13 de julho.

É, “parcêru”… A Baixada tem seu Alzirão, digo, Eucaliptão.
Onde mais tem gente reunida torcendo pelo Brasil? Nos envie a informação e divulgaremos pela rede!

Sobre @PetterMC

Rapper, jornalista, pesquisador e videomaker. Head na Agência #TudoNosso e tutor de projetos de comunicação na Agência de Redes para Juventude. Escreve sua coluna no #PortalEnraizados todas as quartas.

Além disso, veja

Um mês sem curtir, e aí?

Não mais gente mutilada. Não mais gatinhos sendo maltratados. Não mais acidentes fatais envolvendo motociclistas - o que me perturba muito!

Deixe um comentário

Paste your AdWords Remarketing code here