A estória das pessoas: Luiz Coelho Medina

Luiz Coelho Medina --- Click By Ane Alves

Conheci Luiz Coelho Medina quando fui ao primeiro sarau de contos da minha vida. Nunca imaginei um lugar tão mágico como o “Catando contos” na casa que posteriormente adotamos como “lar da cultura de Morro Agudo” ou simplesmente o nosso “Baixo morreba”, o Buteco da Juliana.

As palavras para elogiar o “MC” do “Catando contos” faltariam no dicionário. Medina simplesmente é o autor que muitos de nós temos em nossas cabeceiras; um poeta moderno, conectado e interativo que tem o maior prazer em conversar e expor seus maravilhosos textos na rede mundial de computadores, principalmente no Facebook.

Além de estar em nossos computadores e smartphones, Medina está presente com os seus livros físicos, “Alados” lançado este ano, “Morador de lua” e “Pavio D’esperança”, despejando ótimas poesias de humor, sobre os relacionamentos, males da vida moderna e claro, muito amor.

O poeta transita por todos os saraus da Baixada Fluminense e muitos da capital, sempre levando a bandeira da cultura e apresentando outros poetas da região em que reside. Recentemente tive o prazer de estar com ele na “Pelada poética do Leme” onde varamos a noite na presença de quase duas dúzias de outros maravilhosos poetas, cervejas e experiências inesquecíveis.

10257696_375850905902310_1089348680667428138_n
Luiz Coelho Medina Click By Camila Senna

Nessa pequena entrevista que fiz com esse grande amigo tive o prazer de saber um pouco mais sobre como começou o seu interesse pela poesia e descobri que esse incorrigível romantismo bem humorado começou cedo: – “Comecei a ter interesse pela poesia quando me apaixonei pela primeira vez, aos 4 anos de idade, quando frequentava o primeiro ano do antigo primário e rabisquei um poema para a garota que eu (só eu) (!) considerava como namorada”, confessa o poeta.

Apoiador da causa cultural, Luiz Medina sempre está presente também nas escolas para falar do seu trabalho e mostrar aos jovens que seus sonhos são importantes. Sempre que convidado por mim ou por Antônio Feitoza, de quem falei aqui na última coluna, esteve presente trocando ideias com a galera mais jovem, distribuindo livros, carinho e autógrafos aos alunos das escolas públicas em que trabalhamos e também nas escolas de outros amigos.

11263934_356731404525813_3702905466899853979_n
Luiz Coelho Medina e Léo da XIII, durante o evento Caleidoscópio, em Morro Agudo.

Tudo feito com muito amor e dedicação à causa, já que o poeta tem outras ocupações e horários a cumprir. Com muito conhecimento de causa, tendo mais de três décadas militando pela cultura, ele acredita que “além de estarem resgatando os jovens para a cultura, afastando-os da violência”, os importantes movimentos culturais na Baixada “também estão mostrando outras possibilidades de vida” não só aos mais jovens, mas também aos mais “experientes”.

Esperançoso, Medina completa a conversa de maneira muito positiva: – “Minha perspectiva é que nos próximos anos venhamos a conhecer novos talentos da região e que aqueles que partirem, deixem suas marcas e experiências servindo de alicerce e raiz para frutos que espero cada vez mais saborosos e próximos ao verdadeiro significado do que chamamos “alimento das almas””.

Vida eterna ao poeta que tanto amamos!

Viva Luiz Coelho Medina!

Saiba mais:
Perfil de Luiz Coelho Medina no Facebook: https://www.facebook.com/luiz.coelhomedina

Sobre Cleber Gonçalves

Cleber Gonçalves é geógrafo, professor no CIEP 172.

Além disso, veja

A estória de um jovem periférico num longínquo verão

Goiaba estava na praia. Era 1988 e o litoral do Rio de Janeiro arretado de …

01 comentário

  1. As palavras ganham vida nas escritas de Medina. Parabéns!

Deixe uma resposta para Mlrads Cancelar resposta