terça-feira, 28 maio, 2024
Átomo ou Impune?

Átomo lança seu disco mais polêmico e continua… “IMPUNE”

E aê amigos e amigas que passam “semanalmente” pra conferir minha coluna no Portal Enraizados. Hoje, tive um dia cheio, mas não pude deixar de escrever sobre o disco desse mano, primeiro porque eu preciso que vocês ouçam e dêem um feedback, porque eu não consigo parar de ouvir.

 

 

 

Átomo, Laica e Lisa Castro
Átomo, Laica e Lisa Castro

Átomo é rapper, morador de Morro Agudo. Eu o conheço a mais de dez anos. Ele é casado com a Lisa Castro e pai de Laís Castro (Laica), juntos formam o grupo de rap U-SAL (Ultimato a Salvação). Antigamente ele era conhecido como SDL, hoje é conhecido como Átomo, mas também como Orfeu. Tem um DJ “imaginário” que o auxilia em suas produções, que é o DJ Orácio. Participa de alguns coletivos de rap, como Oxímoro, Amalgama e Clube dos Cinco, além de seu trabalho solo. Ele tem alguns discos passeando pela internet.

Capa do disco IMPUNE
Capa do disco IMPUNE

Mas hoje vim falar de um disco chamado “Dando o ar da graça”, onde ele não é o Átomo, e sim o Impune. Calma galera, ele não sofre de “Transtorno dissociativo de identidade”, o Impune é somente mais um dentre vários personagens que ele utiliza em suas obras.

Ouvi falar deste disco pela primeira vez através de uma divulgação que ele fez pela internet a cerca de um mês, baixei o disco, mas não tinha ouvido e acabei apagando o arquivo. Antes de ontem, vi novamente a divulgação na internet, então baixei e ouvi. Ouvi uma, duas, três vezes… não consegui mais parar de ouvir.

O disco é crítico, mas ao mesmo tempo é debochado. É um disco informativo, esclarecedor, mas muito engraçado. Pois o Impune é um “Burro falante” como você pode conferir na capa do disco.

Segundo o próprio Átomo, esse disco foi concebido em três meses, tem 16 faixas, todas foram produzidas pelo próprio Átomo, assim como todas as letras foram escritas por ele.

 

Eu, particularmente, gostei de todo o disco, mas destaco as faixas:

02 – Vai ficar por isso mesmo;
03 – Impunemente;
04 – Caminho de Balaão (essa é espetacular);
07 – Deus me livre! (o melhor beat, perfeito);
13 – Não sou Ave Maria, mas… (beat muito bom também).

BAIXE AQUI O DISCO COMPLETO — 

[soundcloud url=”http://api.soundcloud.com/tracks/100948558″ params=”color=ff6600&auto_play=true&show_artwork=true” width=” 100%” height=”166″ iframe=”true” /]

Sobre Dudu de Morro Agudo

Rapper, educador popular, produtor cultural, escritor, mestre e doutorando em Educação (UFF). Dudu de Morro Agudo lançou os discos "Rolo Compressor" (2010) e "O Dever Me Chama" (2018); é autor do livro "Enraizados: Os Híbridos Glocais"; Diretor dos documentários "Mães do Hip Hop" (2010) e "O Custo da Oportunidade" (2017). Atualmente atua como diretor geral do Instituto Enraizados; CEO da Hulle Brasil; coordenador do Curso Popular Enraizados.

Além disso, veja

O papel da educação clandestina na formação Política

Este texto reflete sobre o conceito de "Educação Clandestina", destacando sua abordagem contrária ao ensino formal. Explora as lacunas do sistema educacional brasileiro, particularmente em relação à alfabetização e ao letramento nas escolas periféricas. Descreve como movimentos sociais reúnem conhecimentos diversos, ausentes das instituições formais, promovendo uma troca que desafia o status quo. Aponta a importância da conscientização política e da ação crítica na transformação da realidade. Destaca a educação clandestina como um processo contínuo de formação política, capaz de despertar indivíduos para a realidade e capacitá-los a questionar, refletir e agir em prol da mudança social.

4 comentários

  1. Um dos melhores discos de 2013! Átomo é um letrista incrível, que consegue desenvolver pensamentos absurdos no rap. E o pior, se mantém tão IMPUNE quanto o pessoal de Brasilia!

  2. Muito boa a matéria Dudu, obrigado pelo o apoio e respeito. A ideia era justamente essa, agradar as pessoas com sensibilidade o suficiente para entender o trabalho, como você, Peter e outros. VALEU!

  3. Esse é meu parceiro , sempre surpreendendo . Parabêns pela matéria Dudu

Deixe um comentário