Grafiteiro iguaçuano utiliza o graffiti como ferramenta de inclusão na “saúde mental”

O grafiteiro FML, morador de Austin, bairro da cidade de Nova Iguaçu, conheceu o graffiti no ano de 1999, e de lá pra cá já grafitou em muitos bairros do Rio de Janeiro e em algumas cidades do país, mas o que o destaca dentre os milhares de grafiteiros mundo afora é algo que vai além de sua arte.

FML utiliza o grafite como ferramenta de inclusão. O grafiteiro trabalha atualmente no CAPSI (Centro de Atenção Psicosocial Infanto Juvenil) João de Barros, na Zona Oeste, ministrando oficinas que acontecem fora do espaço reservado para o serviço de “saúde mental”, em parceria com o Centro de Convivência da Zona Oeste, reunindo os atendidos do programa com a comunidade local, fazendo com que as pessoas possam conhecer a “saúde mental” e desconstruindo alguns preconceitos.

Ele acredita que o processo de inclusão se dá na mistura de todos.

FML está com alguns de seus quadros expostos na EXPO URBAN GRAFFITI, que ficará até o dia 21 de abril na loja da Nextel, em Nova Iguaçu.

Interessados em saber mais sobre o artista e adquirir suas obras, acessem: www.expourban.art

Sobre Hulle Brasil

Hulle Brasil é uma startap que potencializa artistas e trabalha com base em três pilares: TERRITÓRIO, ETNIA & GÊNERO. Aqui no Portal Enraizados, nossa equipe gera conteúdo a partir destes pilares.

Além disso, veja

“Batidas & Rimas” é a tática da juventude na resistência contra a violência na cidade de Queimados

O evento acontecerá na próxima sexta(16), na Praça Dona Branca, conhecida com Praça do Taz, …

Deixe um comentário

Paste your AdWords Remarketing code here