quinta-feira, 30 maio, 2024

Rádio Enraizados microrrevolucionando

A Rádio Enraizados recebeu vários equipamentos “zero bala” na última segunda feira, quem doou foi a galera do Fundo de Microrrevoluções (http://fundodeiniciativas.blogspot.com.br), que potencializaram nosso grito. O equipamento que chegaram foram mesa de som, monitores de referência, microfones e pedestais, tudo novinho.

DJ Machintal foi quem colocou o equipamento pra funcionar, mas quem utilizou pela primeira vez foram as meninas do programa Donas da Arte, que entrevistaram a professora norte-americana Tanya.

Mas esses equipamentos deram um “UP” na rádio, e agora além dos programas que já existem ao vivo, na segunda (Donas na Arte) e na sexta (Programa Enraizados), agora eu faço um programa ao vivo às quartas (Programa do DúDú) e o Léo da XIII quer fazer outro às terças.

Então fiquem espertos e espertas, mandem suas músicas, sugestões, propagandas ou seja lá o que você queira para nosso email radio.enraizados@gmail.com.

GALERIA

Sobre Dudu de Morro Agudo

Rapper, educador popular, produtor cultural, escritor, mestre e doutorando em Educação (UFF). Dudu de Morro Agudo lançou os discos "Rolo Compressor" (2010) e "O Dever Me Chama" (2018); é autor do livro "Enraizados: Os Híbridos Glocais"; Diretor dos documentários "Mães do Hip Hop" (2010) e "O Custo da Oportunidade" (2017). Atualmente atua como diretor geral do Instituto Enraizados; CEO da Hulle Brasil; coordenador do Curso Popular Enraizados.

Além disso, veja

O papel da educação clandestina na formação Política

Este texto reflete sobre o conceito de "Educação Clandestina", destacando sua abordagem contrária ao ensino formal. Explora as lacunas do sistema educacional brasileiro, particularmente em relação à alfabetização e ao letramento nas escolas periféricas. Descreve como movimentos sociais reúnem conhecimentos diversos, ausentes das instituições formais, promovendo uma troca que desafia o status quo. Aponta a importância da conscientização política e da ação crítica na transformação da realidade. Destaca a educação clandestina como um processo contínuo de formação política, capaz de despertar indivíduos para a realidade e capacitá-los a questionar, refletir e agir em prol da mudança social.

01 comentário

  1. Olá nós do Donas da Arte ai genteeeee!!!!

Deixe um comentário