Resgatando as memórias do cárcere

A Secretaria Municipal de Cultura e Turismo de Nova Iguaçu – SEMCTUR desenvolveu em parceria com o Movimento Enraizados e a Polinter de Nova Iguaçu o projeto “Memórias do Cárcere”. A SEMCTUR já havia apoiado um projeto de teatro lá dentro que foi muito bem sucedido.

Eles entenderam que algo deveria ser feito com os detentos. “Tudo o que você pode imaginar de uma cadeia, lá é muito pior”, afirma Júlio Ludemir – secretário de cultura adjunto, envolvido diretamente com o processo junto aos detentos.

Ludemir ainda diz que: se o indivíduo tiver o seu quadro piorado, piora a sociedade, pois um dia ele retorna para as ruas recuperado ou não. São pessoas restritas em pequeninas salas. Cerca de 600 indivíduos em apenas duas salas, formando um aglomerado de redes, colchonetes e corpos disputando espaço para dormir e até mesmo permanecer sentados.

São realizadas oficinas de memória com depoimentos dos presos sobre os mais diversos assuntos. “O mais emocionante foi quando começaram a contar histórias sobre as tatuagens que possuem no corpo. O pior dia foi quando falaram de histórias sobre relações sexuais com novinhas (adolescentes)”, relata J. Ludemir.

Ao contrário do que se pode pensar do projeto, não há uma busca pela história dos crimes cometidos pelos presos, mas sim, um interesse pela história de cada indivíduo. São descobertas histórias incríveis vividas pelos homens que ali se encontram.

As oficinas e palestras realizadas nos encontros são registradas em fotos e vídeos por Samuel Azevedo (Movimento Enraizados) e reportagens elaboradas por jovens do programa Jovem Repórter da Prefeitura de Nova Iguaçu.

Samuel Azevedo define como é registrar em imagens as oficinas: “Captar a energia e sentir o cheiro forte e verdadeiro, enxergando a realidade do lado de dentro através de grades com fungos”

Sobre @PetterMC

Rapper, jornalista, pesquisador e videomaker. Head na Agência #TudoNosso e tutor de projetos de comunicação na Agência de Redes para Juventude. Escreve sua coluna no #PortalEnraizados todas as quartas.

Além disso, veja

Um mês sem curtir, e aí?

Não mais gente mutilada. Não mais gatinhos sendo maltratados. Não mais acidentes fatais envolvendo motociclistas - o que me perturba muito!

8 comentários

  1. Muito boa a iniciativa. E aguardo para ver o que foi documentado pelo Samuel Azevedo.

  2. Valeu, Petter. Fazer este projeto com o Enraizados, e o Samuel, é 10. Parabéns pela matéria.

  3. Que bueno. Adoro trabalhar nesse projeto que é um estudo social totalmente maravilhoso e só presenciando e ouvindo é que a gente sente o que é a vida desses caras e como o sistema é capaz de nos engolir e nos deixar em péssimas situações.10 vivas para todas as histórias do memórias do cárcere de Nova Iguaçu! 2011 estamos aí.
    Valeu MC Petter, tá lindo;. Abraço

  4. Valeu Marcão e Yasmin!!

    Realmente o trampo com os detentos é maneiro.
    Visitem e comentem sempre aqui no Portal Enraizados.
    Aceitamos sugestões.

    abraços,

    @PetterMC

  5. Valeu, Ludemir!
    Tamu junto sempre!

  6. Aê “ladrão”,estar lá vendo e registrando esse universo, é uma coisa única, não tem como ficar indiferente, se alguém reclama da rotina….passa umas horinhas lá dentro com os caras e sente a vibe…para mim já tô me sentindo à vontade,conheci uma galera bem diversa….que deixaria Dostoieviski ou Plínio Marcos e queixo caído.
    SAMUCÃO BANDIDO DO CÉU!!!

Deixe uma resposta para Marcão Baixada Cancelar resposta