Campanha Um Brinde completa um mês de bons resultados

“Vamos brindar?” E desta vez, os resultados positivos da campanha Um Brinde, que completou dia 18, o primeiro mês e tem deixado os integrantes do grupo Inquérito bastante felizes com a repercussão.

O videoclipe, de mesmo nome, lançado no último dia 18 de fevereiro, junto com a Semana Nacional de Combate ao Alcoolismo e se estendeu para o período pré-carnavalesco continua sendo exibido em vários locais do país e alcança, cada dia mais, diferentes públicos.

O grupo esteve no município de Iporã – PR, onde realizou uma exibição na Casa de Cultura às 14h, seguida de um debate.

O mesmo modelo de debate e exibição já aconteceu na cidade de Poços de Caldas – MG, em Porto Alegre – RS, em Brasília – DF e tem agenda para Cascavél e Foz do Iguaçu, no Paraná e também no Ensaiaço, no Capão Redondo.

No entanto, a ideia vai além de meras exibições. Quando compôs os primeiros versos da música, ao observar plantações de cana e pensar sobre os trabalhadores dos “engenhos”, Renan Inquérito, vocalista do Inquérito, não imaginava que a música se tornaria um clipe e nem que chegaria a ser uma campanha em nível mundial, com exibições em cinco países como Inglaterra, Cuba, Guiné Bissau, EUA e Portugal.

No Brasil, o clipe tem 170 pontos de exibição, o que permite chegar a um número significativo de pessoas, sem contar a internet.  Por meio do youtube, no canal oficial do diretor do clipe, Vras77, o material já atingiu mais de 20 mil exibições. Em outros canais, aleatórios e variados, soma mais de 15 mil exibições.

Diante dos dados divulgados após o Carnaval, onde, nas estradas federais, mais de 200 pessoas morreram e boa parte delas vítimas de embriaguês ao volante, o grupo decidiu por dar sequência no projeto ao longo do ano.

Atingindo o objetivo: conscientização

Contudo, a campanha vai muito além e trabalha no sentimento das pessoas, como é o caso da supervisora de Comunicação, Vivian Barbara Camargo, 30 anos. Pelo twitter, ela acompanhou a divulgação da campanha, que foi feita com a tag #UmBrinde e contou a própria história, quando, há 26 anos, perdeu o pau num acidente automobilístico por conta do álcool. “Faz muito tempo, mas os danos a família foram irreversíveis”.

De acordo com ela, até hoje, os traumas são gigantes. “Meu pai costumava beber com os amigos quando morávamos num bairro pobre em Caxias do Sul. Várias vezes fui buscar meu pai no bar, ainda bem pequena, mas lembro como se fosse hoje: numa noite ele saiu e então, durante a madrugada, recebemos uma ligação. Minha mãe, em choque, não falava nada. Nos arrumou, pegou pela mão e levou até o caixão dele. Ele estava com o rosto todo cortado. O vidro do para-brisa havia estilhaçado. Enquanto eu acariciava seu rosto e pedia para ele levantar, fui interrompida pelos gritos de pânico da minha irmã ao fecharem o caixão. Sabíamos que nunca mais o veríamos”, conta, ainda emocionada.

O pai de Bárbara, como é conhecida, foi velado ao lado de um amigo, que estava com ele. E, na ocasião, um outro amigo estava em coma no hospital, onde ela, ainda criança, foi para visitá-lo. “Ele perdeu o olho direito e eu lembro que fui eu quem contou a ele sobre a morte de meu pai. Ele parou de beber, pois não conseguiu conviver com a culpa de ter contribuído com a morte de dois de seus melhores amigos”, lembra.

No entanto, crescer sem pai e com as lembranças da manchete dos jornais da época deixaram marcas em Bárbara, que a cada dificuldade, sentia saudade e raiva, questionando. “Por que ele escolheu a bebida ao invés da família?”. Muitas perguntas que até hoje ela não tem a resposta, porém, não dirige e nem pega carona com quem bebe.

Quando assistiu ao vídeo do grupo, ela conta que passou um filme pela cabeça “me lembrei do quanto minha mãe sofreu, quantas vezes nos escondemos no guarda-roupa com medo do meu pai bêbado, do rosto do meu pai no caixão, etc. O álcool me tirou toda a felicidade da infância, coisas que as propagandas não mostram. Perdi meu pai, meu amigo, o avô dos meus filhos. Apoio a campanha pois a conscientização salva vidas e famílias. Agradeço de coração ao grupo Inquérito. Só eu sei o quanto é importante”, frisa.

Outras esferas

E o trabalho segue, para Inaene Magalhães, 16 anos, aluna de Renan Inquérito em Artur Nogueira, a exibição do clipe na escola foi bastante importante. “Foi um material bem filmado e tem bastante informação. Algumas que chocam e fazem as pessoas pensarem melhor no que o álcool traz, se é só felicidade ou tristeza também. E quando foi lançado na escola, o Renan fez uma palestra muito interessante, explicando passo-a-passo a confecção do clipe”, diz.

O clipe atinge esferas como saúde, educação, trânsito, prevenção, entre outros. Nas escolas, tem trazido bons resultados. Em Votuporanga, no interior de São Paulo, foi exibido a crianças por intermédio do professor Djalma Nogueira, que sempre usa do hip-hop em sala de aula, e os resultados, segundo ele, foram surpreendentes. “A escola precisa realizar além do seu papel educacional que percorre pelos livros, alertar e questionar seus alunos sobre os temas sociais que na maioria das vezes faz parte do cotidiano de nossas crianças”, salienta

O clipe já esteve também em casas de leis, como a Câmara Municipal de Poços de Caldas, onde foi lançado. A Câmara Municipal de Nova Odessa, onde foi exibido e recebeu menção honrosa e ainda na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, onde foi objeto de um debate há uma semana.

No próximo dia 29, será exibido na Câmara dos Vereadores de Americana, onde também deve acontecer um debate sobre o tema.

Para o grupo, que não esperava tamanha ascensão do clipe, que se tornou uma campanha, o trabalho tem sido importante e vai continuar ao longo do ano. “Não queremos parar. Esse é um trabalho que casa com a proposta do Inquérito, principalmente neste disco, que é a de fazer mudança. Viajamos quase mil quilômetros, de carro, para fazer exibições no Paraná e vamos tentar fazer isso em todos os pontos que conseguirmos. A ideia é disseminarmos essa informação e promover algo positivo com o que sabemos fazer de melhor, que é a música”, finaliza Renan Inquérito.

Serviço – Para organizar exibições em sua cidade, coletivo, evento, entre em contato com o grupo pelo e-mail assessoriahiphop@hotmail.com

Próximas exibições:

  • 18/03 – Casa de Cultura Iporã – PR
  • 19/03 – Unioeste – Cascavel – PR
  • 20/03 – Foz do Iguaçu – PR
  • 25/03 – Ensaiaço – Capão Redondo – SP

Links:

Site Inquérito: www.grupoinquerito.com.br

Canal do Vras 77: www.youtube.com/vras77

Twitter: @grupoINQUERITO

Sobre Jéssica Balbino

Além disso, veja

Crianças aprendem tradição africana através de coletivo Dúdú Badé

Por meio da arte-educação, trio de mulheres negras leva tradições afro-brasileiras aos pequenos Já imaginou …

Deixe um comentário

Paste your AdWords Remarketing code here