‘Dinheiro’ une diferentes gerações do rap do Rio de Janeiro

Música produzida colaborativamente faz parte de projeto piloto que será lançado em 2018 pela startup Hulle Brasil e o Instituto Enraizados.

Dudu de Morro Agudo, Shu Rodrigues, Passarinho e DJ Dorgo se uniram em uma experiência inédita.

Durante cerca de um mês e meio, cinco artistas se reuniram para fazer música no subúrbio do Rio de Janeiro. Até aí não teria nada de novo, se estes artistas não estivessem conectados a um projeto que visa fortalecer e estruturar a cena do hip hop na região metropolitana do Rio, principalmente nos bairros de periferia.

A ideia é, além de desenvolver um guia para quem deseja empreender no rap, com informações sobre direitos autorais, registro, distribuição e comercialização das músicas nos meios físicos e digitais, também realizar formações e encontros entre intelectuais, profissionais da música e artistas.

DMA, Passarinho, Dorgo, Baltar e Shu
DMA, Passarinho, Dorgo, Baltar e Shu

Por isso estão documentando todas as etapas da cadeia produtiva de um rap: formação, produção, distribuição, promoção, comercialização e exibição de serviços musicais, reunindo informações importantes e medindo a eficiência de algumas estratégias já utilizadas freqüentemente pelos artistas contemporâneos.

O piloto do projeto foi chamado de “Desafio RapLAB” e como produto surgiu a música “dinheiro”, que os rappers Dudu de Morro Agudo (38), Shu Rodrigues (24), Passarinho (19) compuseram depois de uma discussão filosófica sobre o significado do dinheiro na nossa sociedade. O interessante é que os rappers têm idades, visões, vivências e estilos completamente diferentes, o que deixou o música com um formato totalmente experimental e respeitando a “cultura do DJ”, o refrão, ao invés de ser cantado, foi construído com colagens e scratches do DJ Dorgo (23).

Compuseram a música depois de uma discussão filosófica sobre o significado do dinheiro na nossa sociedade

A música e o videoclipe da música “Dinheiro” foram lançados no último dia 12 de outubro, no canal da Hulle Brasil, no Youtube.

Gravar um videoclipe não é tarefa fácil, mas gravar um videoclipe inteiro em plano sequência é uma tarefa bem mais complicada, ainda mais quando tem quatro personagens, roteiro e direção.

Sabendo que seria um desafio grande, Dudu de Morro Agudo chamou quem tem experiência na área, a galera da produtora RoloB, Camila Guimarães e Higor Cabral, especialistas em produzir clipes de rap de baixo custo e altíssima qualidade.

“Eu estava muito preocupado com a estética do clipe também, além de ser em plano-sequência, eu queria que fosse algo com uma pegada documental, meio teatral, e a RoloB sabe bem como fazer isso”, revela Dudu de Morro Agudo, idealizador do projeto.

O projeto, que contou com a parceria de uma série de profissionais e empresas, faz parte de um projeto bem maior que será lançado em 2018 e, segundo os realizadores, mexerá com a cena hip hop em todo o Rio de Janeiro.

“Estamos conversando com a OneRPM, a Spotify, o SEBRAE, a UBC e outros parceiros para realizar um primeiro seminário que acontecerá na Casa de Cultura de Nova Iguaçu”, afirma Fernanda Rocha, da produtora da Hulle Brasil.

Os fãs do hip hop começarão a sentir a diferença em meados de 2018, quando a Hulle Brasil promete inflar a cena com dezenas de novas músicas e videoclipes de artistas iniciantes e veteranos do rap carioca. A empresa afirma que não agenciará nenhum artista, apenas colocará em execução um novo modelo de negócios.

Baixe a música aqui

 

 

Sobre Hulle Brasil

Hulle Brasil é uma startap que potencializa artistas e trabalha com base em três pilares: TERRITÓRIO, ETNIA & GÊNERO. Aqui no Portal Enraizados, nossa equipe gera conteúdo a partir destes pilares.

Além disso, veja

BNegão & Seletores de Frequência voltam a São Paulo para transmutar

De volta à atividade, depois de algum tempo de recesso, BNegão & Seletores de Frequência chegam ao …

Deixe um comentário

Paste your AdWords Remarketing code here